Quais são as vantagens da integração entre sistema de alarme e VMS?


Quais são as vantagens da integração entre sistema de alarme e VMS?

Oferecer o serviço de monitoramento por câmeras abre mais uma oportunidade de negócio para as empresas de monitoramento.

Oferecer o serviço de monitoramento por câmeras abre mais uma oportunidade de negócio para as empresas de monitoramento. A escolha da tecnologia para gerenciar alarme e imagem vai determinar a eficiência da operação e a qualidade do serviço prestado. A integração entre o software VMS (video monitoring system) e o software de alarmes traz vantagens exclusivas para a empresa, como a visualização das imagens das câmeras em tempo real, salvar as imagens vinculadas ao evento e o recebimento de eventos gerados com o status dos equipamentos do CFTV.

Sigma Desktop, software de monitoramento de alarmes da Segware, integra com o Sigma Image Monitoring, uma versão do VMS da Digifort específica para a Segware, e consegue proporcionar, entre outros benefícios, três facilidades para a operação de monitoramento:

A integração permite a visualização das imagens das câmeras em tempo real

Veja como a integração acontece para permitir que as imagens das câmeras do CFTV apareçam ao vivo no Sigma Desktop:

1. Abrir o Sigma Desktop.

2. Abrir o Sigma Image Surveillance.

3. No Sigma Desktop, na aba Monitoramento, ao selecionar um evento é visualizado a câmera da zona em que ocorreu o disparo à direita da tela (abre automaticamente).

4. O Sigma Image Surveillance automaticamente abrirá o mosaico de todas as câmeras do mesmo cliente em que está ocorrendo o tratamento. Você pode visualizar também as imagens gravadas desde o início da intrusão ou ao vivo.

Integração Sigma Desktop e Sigma Image Monitoring na central de monitoramento.

A integração salva as imagens gravadas no momento do disparo do alarme

Além disso, a configuração padrão da integração determina que as imagens sejam gravadas no momento do disparo do alarme.

1. Para visualizar imagens gravadas vinculadas a um evento tratado, basta pesquisar o evento na conta do cliente no Sigma Desktop e clicar no botão “gravação”.

2. Em seguida, o Sigma Image Surveillance será aberto e mostrará as imagens no momento do disparo.

A integração permite o recebimento de eventos de status dos equipamentos

A manutenção de um CFTV é fundamental para qualidade do serviço de monitoramento. A integração entre os softwares Sigma Desktop e Sigma Image Monitoring proporciona a checagem automática do funcionamento dos equipamentos e a geração de eventos em caso de falhas. Veja como funciona:

1. Sempre que alguma conexão ficar offline o Sigma Surveillance emitirá um evento para o Sigma Desktop.

2. Na tela de monitoramento do Sigma Desktop, o evento poderá ser tratado ou finalizado automaticamente no recebimento de uma restauração da conexão.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.


Por que atrair mais clientes pode diminuir sua rentabilidade?


Por que atrair mais clientes pode diminuir sua rentabilidade?

A rentabilidade é um indicador importante para entender o potencial que o negócio tem em se pagar.

A ideia de que é preciso conquistar mais clientes para lucrar mais não está errada, mas é preciso separar os conceitos de lucro e rentabilidade. Gerir uma empresa rentável requer escolhas assertivas no início do investimento, o que ocorre, no entanto, é que para aumentar a lucratividade as empresas de monitoramento investem ainda mais em infraestrutura. Esse comportamento diminui a rentabilidade do negócio, porque aumenta os custos da operação. Se a empresa de monitoramento não estiver preparada, portanto, direcionar seus esforços para captar mais e mais clientes pode provocar uma estagnação ou até mesmo um retrocesso no seu crescimento.

rentabilidade é um indicador importante para entender o potencial que o negócio tem em se pagar, tomando como referência o valor do investimento realizado no momento de sua estruturação.

Para entender se a sua empresa de monitoramento é atualmente um negócio rentável, divida o lucro da empresa, em um determinado período, pelo valor do investimento inicial (ou o valor atual da empresa). O resultado, em percentual, representa a rentabilidade da sua empresa de monitoramento nesse período.

Veja um exemplo:

Uma empresa de monitoramento iniciou seu funcionamento há um ano atrás atendendo 800 contas, com o aporte financeiro de R$ 200 mil, e desde então gera um lucro de R$ 5 mil por mês. A rentabilidade (lucro dividido pelo investimento) dessa empresa é de 2,5%.

Agora, suponha que essa mesma empresa queira triplicar o número de clientes finais (2.400), o que você acha que vai acontecer com a rentabilidade dela?

Os custos operacionais não são diretamente proporcionais, porque cada cliente tem um custo previsto e um custo real para a empresa de monitoramento. Isso significa, no cenário atual, que os custos operacionais serão ainda maiores para atender o triplo de clientes finais. Sem alterar a margem de lucro, a rentabilidade inevitavelmente irá diminuir.

Isso porque…

Rentabilidade é diferente de lucratividade

lucratividade está relacionada com o preço do serviço, ou seja, é o resultado da divisão entre lucro líquido e receita total.

Lucro Líquido x 100 ÷ Receita total = Lucratividade
Para que o lucratividade represente de fato o seu lucro é preciso calcular de forma correta o custo da operação de monitoramento.

Especialmente para empresas de monitoramento, este custo pode variar de acordo com o cliente final. Com o preço de custo definido corretamente, é possível aplicar o preço de venda e, por consequência, obter o valor do lucro.

Nesse sentido, quanto mais clientes você conquistar, maior será a sua lucratividade, mas é preciso prestar atenção na margem de lucro porque outros fatores podem influenciar no preço de venda do serviço de monitoramento. O valor do serviço dos concorrentes e as características dos clientes finais da região que você atua irão afetar o seu preço de venda, e isso pode diminuir a sua lucratividade.

E é aí que a rentabilidade consegue determinar se vale a pena continuar atraindo mais e mais clientes ou se a estratégia precisa ser outra. Se você tem uma margem de lucro pequena, conseguir mais clientes vai aumentar o custo de operação de maneira desproporcional, tornando a sua rentabilidade menor.

Lucro Líquido x 100 ÷ Investimento = Rentabilidade
Por isso, atrair mais clientes não significa necessariamente ser mais rentável. Pelo contrário, se os custos para novos clientes finais superarem a margem de lucro, o volume de venda pode até dar a impressão de que a empresa está faturando mais, quando, na verdade, os custos estão aumentando e a rentabilidade diminuindo.

Há perda de rentabilidade enquanto houver perda de eficiência

Se a rentabilidade está relacionada ao investimento que você precisa fazer para manter a empresa funcionando, a perda de eficiência na operação de monitoramento vai consumir recursos aumentando as despesas.

Logo, para aumentar a rentabilidade é preciso tornar os processos internos e as etapas do monitoramento mais eficientes.

Portanto, buscar uma rentabilidade maior vai além de conquistar mais clientes, é preciso diminuir os custos com a operação, tornar o negócio o escalável.

Por isso…

Investir em tecnologia escalável pode ser uma solução para a crise de rentabilidade

Soluções de tecnologia integradas e completas conseguem reduzir as despesas da operação de monitoramento em muitos pontos de contato:

– comunicação automatizada;
– integração com URA;
– acompanhamento dos números (indicadores) do desempenho do monitoramento;
– portal online para emissão de relatórios;
– aplicativo para cliente final;
– tratamento automático de eventos.

Além de reduzir as despesas, é possível melhorar o desempenho da equipe diminuindo erros de comunicação, falhas de operação e atrasos no atendimento ao cliente.

Com isso, a tecnologia promove um ambiente favorável para transformar o modelo de negócio da empresa em um modelo de negócio escalável.

A escolha por softwares de monitoramento na nuvem é a alternativa mais indicada para diminuir os custos iniciais com infraestrutura de TI. Com a Segware, a empresa de monitoramento pode utilizar o pacote Sigma Cloud Express com um bônus na mensalidade até 400 contas . E como o software está adequado ao modelo de negócio escalável, o valor por conta diminui à medida que o número de contas aumentar.

Dessa forma, a empresa de monitoramento terá condições adequadas para absorver um número maior de clientes mantendo (e até mesmo ampliando) sua rentabilidade.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.


Por que as empresas de monitoramento perdem dinheiro?


Por que as empresas de monitoramento perdem dinheiro?

As empresas de monitoramento perdem dinheiro ao deixar de investir em inovação, softwares integrados e desejos do cliente final.

As empresas de monitoramento perdem dinheiro ao deixar de investir em inovação para a operação de monitoramento, quando não priorizam a contratação de softwares integrados e, ainda, quando deixam de atender o desejo por conectividade e confiança do cliente final.

Da nossa base de possíveis clientes (leads da Segware), conseguimos destacar a seguinte distribuição entre as principais dores relatadas com relação às soluções de tecnologia já contratadas:

Problemas destacados pelos gestores de empresas não clientes da Segware

Os gestores apontam que a principal dificuldade que encontram é com a ausência de integraçãoentre os softwares utilizados no monitoramento, a demora ou ausência completa de atualizações e versões corretivas, além da falta de perspectiva em inovação para o monitoramento. Muitos gestores também destacaram os dois temas integração e inovação, ao mesmo tempo, como falhas graves da solução que contrataram.

Em um mercado competitivo, o controle de custos se faz necessário para que a mensalidade do serviço cobrada ao cliente final seja viável à realidade daquele nicho. Logo, contratar as soluções mais baratas atrai, inicialmente, as empresas que precisam consolidar sua base de clientes finais.

A curto prazo essa estratégia é interessante, mas quando a empresa começa de fato a crescer, o esforço para continuar aumentando sua rentabilidade será cada vez maior. E é aí que as empresas passam a perder dinheiro, porque esbarram nestas três dificuldades a seguir:

Falta de investimento em inovação para a operação de monitoramento

Quando uma empresa de monitoramento passa a operar precisa recuperar o investimento de equipamentos, frota e contratação de pessoas. É comum, portanto, entender a tecnologia como mais uma despesa e, de fato, sim, é necessário gastar com softwares para operação, mas a grande vantagem é que este investimento retorna.

O investimento em tecnologia traz inovação para operação de monitoramento, o que promove eficiência e economia com o corte de gastos desnecessários. Veja no que é possível reduzir:

– A conta de telefone fica menor, pois ligações entre operadores, atendentes (viaturas) e técnicos podem ser automatizadas por aplicativos de smartphone;

– O número de deslocamentos em falso de viaturas diminui, porque é possível acompanhar quais clientes geram mais chamados e tratar a causa raiz;

– O tempo gasto para gerar relatórios e informar o cliente final dos eventos é completamente substituído por portal de atendimento e aplicativo para smartphone;

– Insumos de papelaria (canetas, papel, pastas, etc) não são mais necessários. Ordens de serviço, por exemplo, podem ser assinadas pelo cliente final na tela do smartphone do técnico.

– O número de operadores por operação também pode ser enxuto, pois softwares robustos conseguem tratar vários tipos de eventos automaticamente, diminuindo assim o volume de trabalho do operador.

Potencial de economia com investimento em tecnologia

E, exatamente por isso, é possível absorver um número maior de clientes, ganhar em escalabilidade do negócio.

Ausência de integração entre os softwares de monitoramento

À primeira vista, investir em softwares mais baratos ou mesmo utilizar apenas os softwares embarcados nos DVRs (para monitoramento por imagem) pode parecer uma boa ideia para evitar novos gastos.

A necessidade de aprender diferentes interfaces e de replicar os mesmos dados em softwares distintos, no entanto, consome muito mais tempo da operação. E o tempo para a operação de monitoramento é um fator importante para que seja viável aumentar o número de clientes finais a serem atendidos.

A utilização de softwares integrados durante a operação de monitoramento impacta na eficiênciada operação, e esta eficiência pode ser acompanhada em números por indicadores, tais como:

– tempo médio de atendimento;
– ocorrências atendidas (e concluídas);
– ocorrências concluídas por operador;
– eventos recebidos por conta;
– quantidade de ocorrências por status;
– indicador de tempo de atendimento;
– ocorrências recebidas por hora;
– eventos recebidos por hora.

A eficiência que a integração promove tem o potencial de economizar recursos em aspectos tangíveis (mensurados pelos indicadores) e, ao mesmo tempo, intangíveis, como livrar os operadores de tarefas repetitivas e que poderiam ser automatizadas facilmente.

Potencial de economia com integração

As integrações apresentam relativamente o mesmo impacto na eficiência, mas o potencial de economia da integração do software de alarmes com aplicativos e com software de imagem, o resultado pode chegar a 58% de redução de atritos (etapas desnecessárias que consomem tempo e dinheiro) durante a operação de monitoramento.

Monitoramento não atende o desejo do cliente final

Perder clientes e deixar de conquistar novos por não oferecer o que os consumidores buscam impacta diretamente na rentabilidade da empresa de monitoramento.

Ignorar o desejo por conectividade e transparência dos clientes finais retrai o crescimento da empresa. A boa notícia é que ao reverter essa situação a empresa tem grandes chances de se destacar no mercado onde atua.

Um dos recursos para realizar essa entrega é disponibilizar ao cliente final um aplicativo por onde ele poderá acompanhar as ocorrências das suas contas, armar e desarmar o painel de alarme, visualizar as imagens das câmeras de segurança ao vivo, além de acesso rápido à lista de contatos de emergência.

Para contratação desse tipo de tecnologia, observe se o aplicativo funciona vinculado ao serviço de monitoramento, isso significa que o cliente final só terá acesso aos benefícios (e ao aplicativo em si) enquanto for seu cliente.

Quer entender mais sobre a eficiência na operação de monitoramento? Inspire-se no post 5 dicas de eficiência para empresa de monitoramento eletrônico.


3 erros de comunicação que atrapalham a venda do serviço de monitoramento


3 erros de comunicação que atrapalham a venda do serviço de monitoramento

Entenda quando supostos diferenciais podem se tornar um problema na sua comunicação.

Empresas de monitoramento preocupadas com sua imagem no mercado (e consequentemente com sua rentabilidade) buscam conhecer o perfil de cada nicho (escolas, residências, centros comerciais e empresariais, etc) e reforçar constantemente o conforto e a confiança de seus clientes finais. O business do monitoramento eletrônico é prevenir e mediar sinistros, sendo assim, quando não há a ocorrência de um sinistro, como a empresa de monitoramento pode se mostrar presente (e de forma útil) na vida de seus clientes? Oferecer o serviço de monitoramento e disponibilizar ao cliente final um aplicativo para que ele também possa acompanhar as câmeras do CFTV, por exemplo, é um diferencial. Mas quando esse diferencial se torna um problema de comunicação? Ao promover a marca do fabricante dos equipamentos ao invés da sua própria marca, a empresa de monitoramento perde coerência em sua estratégia de comunicação e marketing e deixa passar diversas oportunidades para associar a sua marca a bons momentos.

cliente final já desenvolveu o hábito por conectividade, a facilidade do uso dos aplicativostransformou a maneira como as pessoas interagem com produtos e serviços.

O mercado de tecnologia para monitoramento eletrônico entendeu isso e já consegue prover algumas soluções em aplicativos para as empresas distribuírem aos seus clientes finais.

Algumas soluções provêm dos fabricantes das câmeras de segurança, outras são desenvolvidas pela própria empresa de monitoramento e há ainda os aplicativos integrados aos softwares de monitoramento de alarmes e VMS (video monitoring system).

Diante das opções disponíveis, observe se o aplicativo que você escolheu vai livrar você destes 3 erros de comunicação e posicionamento de marca para o cliente final:

Promover a marca do fabricante dos equipamentos ao invés da própria marca

É comum entre os fabricantes de equipamentos e câmeras para CFTV fornecer aplicativos para visualização das imagens. Com isso, o cliente final tem à disposição todo o equipamento e recebe diretamente pelo aplicativo as imagens geradas em seu próprio CFTV. Esse tipo de venda tem gerado algumas desistências por parte de alguns clientes finais: porque, na percepção deles, a empresa de monitoramento se faz muito pouco presente nesses casos.

Sendo assim, os clientes finais aproveitam a infraestrutura e cancelam o serviço de monitoramento.

Mas isso é suficiente para não oferecer o serviço de monitoramento por câmeras de segurança?

Não, não é. O aplicativo utilizado é que não foi pensado para incluir de forma sustentável (e rentável) a empresa de monitoramento, então o que precisa ser repensado é o aplicativo.

Escolher um aplicativo que não esteja vinculado ao serviço da empresa de monitoramento pode custar a perda de vários clientes, mas algumas empresas acabam fazendo essa opção mesmo assim porque o aplicativo é gratuito.

O uso de aplicativos dos fabricantes de câmeras de segurança também interfere no volume de ligações para o suporte da empresa, é necessário configurar porta, IP e outros campos antes de iniciar o uso.

Além disso, claro, o nome e a identidade visual do aplicativo são do fabricante dos equipamento, e não da sua empresa. É o fabricante que está sendo visto por milhares de pessoas nas lojas da Apple e do Google.

Como corrigir? Promova a sua própria marca escolhendo um aplicativo que ofereça essa possibilidade e que mantenha os clientes finais com você.

Não manter a coerência da marca em todos os pontos de contato com o cliente final

Pode ser que você já tenha entendido que usar o aplicativo da empresa fabricante das câmeras de segurança não seja um bom negócio (por diversas razões), e se é cliente Segwarejá tem à disposição o My Security, o app que permite muito mais do que visualizar as imagens das câmeras.

Nesse caso, você já oferece a conectividade que seu cliente final tanto deseja, mas ainda assim pode estar deixando um quesito fundamental de lado: a personalização.

Ao incluir o My Security nos seus pacotes de serviços, você vai precisar orientar o cliente final sobre como fazer o download do aplicativo. É muito mais fácil para o seu cliente se o app estiver com a sua marca e o nome da sua empresa de monitoramento. Fácil de localizar e coerente com o serviço que ele contratou.

Ao entrar nas lojas mobile Apple Store e Google Play, você consegue acompanhar quantas vezes o seu aplicativo foi instalado e desinstalado, por exemplo, isso já informa se a sua campanha de marketing (para que seus clientes usem o seu aplicativo) está funcionando. É um bom termômetro para balizar as próximas ações.

Perder a oportunidade de mostrar a marca ao cliente final em situações positivas

Quando você escolhe personalizar o aplicativo, está associando a sua marca à sensação de conforto e facilidade que o app proporciona ao cliente final. Confira o depoimento da TeleAlarme Brasil, representada pelo Ivam Nunes de Matos.

Sem a personalização, esse vínculo não é criado, e a sua empresa passa a ser lembrada como uma despesa ou em situações de sinistro.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.


É possível monitorar apenas pela interface do VMS?


É possível monitorar apenas pela interface do VMS?

Quando não há integração entre o software de monitoramento de alarme e o VMS podem ocorrer falhas na operação.

Em algumas empresas, o monitoramento é realizado pela interface do sistema de monitoramento por vídeo (VMS). Quando não há, no entanto, integração com o software de monitoramento de alarme, pode ocorrer falha na operação porque o operador precisa prestar atenção em mais de uma interface ao mesmo tempo. O Sigma Image Monitoring (SIM), a solução de VMS oferecida pela Segware, é integrada ao sistema Sigma, por isso consegue alertar o operador sempre que um evento de disparo de alarme acontece enquanto ele monitora as imagens das câmeras.

Monitoramento por câmeras, por imagem e por vídeo significam a mesma coisa: um local monitorado por um CFTV (circuito fechado de TV). Usualmente, as empresas de monitoramento eletrônico utilizam alarmes por telefonia, é uma infraestrutura de baixo custo e já consolidada no mercado.

evolução da área de monitoramento, contudo, colocou à disposição das empresas uma variedade maior de tecnologias. É o caso da tecnologia IP e dos painéis GPRS. O uso da internet, em substituição à infraestrutura de telefonia, permitiu um avanço considerável na qualidade de imagens geradas, agora, por câmeras IP.

Essa melhoria de infraestrutura provocou uma reação positiva no mercado, algumas empresas, inclusive, passaram a monitorar exclusivamente pela tela do software VMS (video monitoring system). Para que a experiência de monitoramento seja completa, também no VMS, a solução precisa fornecer algumas adaptações.

Uma funcionalidade importante é a Ronda Virtual que consiste na exibição em sequência dos mosaicos com as imagens das câmeras de seguranças dos locais monitorados.

Confira a seguir as principais características do Sigma Image Monitoring (SIM) e veja como funciona os recursos especiais para o monitoramento via VMS.

Áreas da interface do SIM

SIM oferece a vantagem de ser acessível fora da máquina do servidor, qualquer máquina com o surveillance instalado consegue ter acesso ao sistema.

A interface do software é dividida em três área:

– frame de exibição dos mosaicos com as imagens das câmeras de segurança;
– menu na lateral direita para seleção de mosaicos e câmeras, e para conectar e desconectar (ou alternar) dos servidores de imagem;
– menu no rodapé da tela para marcar as opções de configuração. É neste menu que a Ronda Virtual é configurada.

Tela para configuração da sequência de mosaicos para Ronda Virtual. O usuário define quandos segundos cada mosaico irá aparecer na tela antes de ser exibido o próximo mosaico. É possível atribuir tempos diferentes, dando mais ênfase para um cliente final específico, por exemplo.

Como o alerta de disparo de alarme aparece na interface do SIM?

O operador deve habilitar esta funcionalidade no SIM em dois locais: nas configurações gerais do sistema e na CUC do evento desejado. Além disso, é necessário configurar um evento global no servidor VMS.

Com isso, ao receber um evento, o SIM irá gerar um alerta automaticamente, exibindo as imagens relacionadas ao evento.

Por trás da interface do SIM, a tecnologia Digifort

Sigma Image Monitoring (SIM) é uma versão exclusiva da solução VMS da empresa Digifort. Uma solução amplamente testada no mercado internacional, estável e validada por grandes empresas da área de segurança eletrônica.

A parceria com a Segware conseguiu proporcionar ao cliente uma nova forma de contratação do software, com a Segware o cliente assina mensalmente o sistema, não é necessário adquirir uma licença e realizar pagamentos extras por futuras atualizações.

O SIM tem a vantagem de estar integrado ao Sigma, o que promove a celeridade no tratamento de eventos de alarme e diminui a frustração com recadastros redundantes. Além disso, a Segware coloca como prioridade atualizações do Sigma para trabalhar em acordo com as atualizações lançadas pela Digifort. Assim, a integração permanece estável e em constante evolução.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.


Como internacionalizar o serviço de monitoramento eletrônico?


Como internacionalizar o serviço de monitoramento eletrônico?

Como se diferenciar no mercado competitivo e continuar mantendo a rentabilidade da sua empresa? Uma alternativa pode ser a internacionalização do serviço.

Grandes cidades geralmente são bons cenários para oferta de monitoramento eletrônico. A questão é: todo mundo sabe disso. Então, como se diferenciar no mercado competitivo e continuar mantendo a rentabilidade da sua empresa? Uma alternativa pode ser a internacionalização do serviço de monitoramento. Atuar em países vizinhos amplia seus conhecimentos sobre o business de monitoramento e é uma oportunidade de aumentar a rentabilidade da empresa. Pontos-chave precisam ser levados em conta, como a questão legal para atuação em outro país e a robustez do software de monitoramento. A Segware já atua na América Latina desde de 2011 e entende que para atingir um crescimento sólido, alinhando expertise e rentabilidade, é preciso estar presente em outros países.

Micro e pequenas empresas situadas em grandes cidades geralmente enfrentam desafios com a alta competitividade. A demanda por monitoramento na cidade de São Paulo, por exemplo, é muito grande, mas a oferta também é enorme, proporcional ao tamanho do mercado da metrópole. Por outro lado, em cidades do interior, não há um número muito elevado de concorrentes, mas a demanda é muito menor.

Uma alternativa para escapar da estagnação nos negócios é atuar em países vizinhos. Graças a tecnologia IP (câmeras IP e painéis GPRS), todo tráfego de dados do monitoramento pode ser feito através da internet. Com isso, você pode atuar em qualquer lugar do mundo, basta entender o aspecto legal do serviço e conhecer um pouco o mercado local. Sobre o ponto de vista técnico, há alguns pontos de atenção, principalmente com relação ao software que você utiliza.

Levando isso esses elementos em consideração, internacionalizar pode aumentar seu expertisesobre monitoramento e ampliar receitas.

Internacionalizar pode ser uma saída para aumentar a rentabilidade

Matias, nosso consultor de vendas para América Latina, conta que o mercado internacionalapresenta algumas diferenças no comportamento dos consumidores. No segmento de monitoramento eletrônico, por exemplo, existe uma peculiaridade que pode ser rentável pelo baixo custo que apresenta, é o monitoramento on demand, ele explica:

“Em outros países, é muito comum a oferta do serviço de monitoramento na modalidade on demand, ou seja, o próprio cliente final de monitora e decide quando acionar a viatura. A precificação é feita pelo número de deslocamentos, levando em consideração a distância percorrida. Deslocamentos em falso, neste caso, também são cobrados, já que não há o pagamento de uma mensalidade.” – Matias, consultor de vendas LATAM na Segware

monitoramento on demand é uma das funcionalidades disponíveis no aplicativo My Security.

O Sigma já está pronto para você internacionalizar seu serviço de monitoramento

Sigma é capaz de trafegar dados via telefonia e via internet.

Para atuar fora do Brasil, é interessante trabalhar com painéis de alarme que comunicam no modo GPRS e IP. Dessa forma, basta informar o endereço de IP ou DNS de comunicação e os eventos chegarão normalmente aqui no Brasil.

Caso a infraestrutura de internet do país visado não seja adequada, você tem uma alternativa. O Sigma disponibiliza o aplicativo Sigma Transmissor, que permite receber eventos de linha telefônica (receptora física de linha) em um computador que esteja qualquer lugar do mundo e transmitir esses eventos via Ethernet para a central de monitoramento.

As integrações que o Sigma oferece, com aplicativos e Sigma Image Monitoring (VMS da Segware), o monitoramento internacional ganha agilidade e precisão.

A Segware sabe como internacionalizar é importante para o negócio

Desde 2012, passamos a atuar no mercado internacional, com o foco principalmente na América Latina. Atualmente, estamos em 12 clientes internacionais (Uruguai, Peru, Equador, Colômbia, Costa Rica, Nicarágua, México e Honduras) e presentes em 8 países.

A participação em feiras e eventos internacionais visa justamente conhecer o público e as tecnologias oferecidas para este setor em outros países. Estivemos presentes na Exposec México, ISC Vegas, Cumbre Alas Miami e Exposec Bogotá em 2017.

A perspectiva é de fortalecer parcerias nos Estados Unidos para tecnologia e expandir nos países onde já estamos presentes.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.


3 características ideais para colaborador de empresa de segurança


3 características ideais para colaborador de empresa de segurança

Subheader

Junto com estrutura tecnológica, o capital humano da sua empresa é essencial para garantir a qualidade dos serviços prestados. Os colaboradores precisam conhecer a fundo os valores da empresa, o tipo de serviço que ela entrega e o perfil de cada um dos clientes. Porém, muitos gestores costumam contratar novos funcionários sem prestar muita atenção nas suas aptidões e competências. Nossa experiência em tecnologia para segurança mostra que profissionais mal qualificados só geram resultados ruins. Por isso, separamos uma lista com 3 características ideais para colaborador de empresa de segurança inspiradas na nossa experiência neste setor. São conselhos que podem ajudá-lo a escolher a pessoa certa para a sua organização.

Nossas 3 características ideais para colaborador de empresa de segurança são:

– Domínio de tecnologia: é lógico que um colaborador de empresa de segurança não vai conhecer todo sistema para gestão de segurança disponível no mercado. Porém, é importante que ele saiba qual é a mecânica de funcionamento desse tipo de ferramenta, como ela pode ajudá-lo no trabalho diário e quais funções só devem ser usadas em casos de emergência. Quem não tiver esses três valores em mente pode gerar grandes dores de cabeça para a sua companhia.

Outra dica para contratar um colaborador de empresa de segurança é verificar se ele já trabalhou com algum sistema popularmente usado no mercado. Isso garantirá que ele conhece minimamente a mecânica de funcionamento da solução e que poderá, após um período de treinamento, trabalhar com a sua ferramenta. Para averiguar se um candidato tem essa aptidão, faça algumas perguntas durante a entrevista sobre experiência pregressa e tecnologias.

– Visão integrada da estrutura de segurança: sempre costumamos abordar aqui no Blog da Segware a importância de integrar soluções de segurança eletrônica. Se a sua empresa busca esse valor nos serviços prestados, é importante que o colaborador de empresa de segurança também tenha uma visão integrada da estrutura. Assim, ele saberá usar todos os recursos disponíveis para evitar uma intrusão ou minimizar os danos causados por um sinistro.

Além da questão tecnológica, pense que um colaborador de empresa de segurança também precisa ter uma visão integrada em relação ao grupo de trabalho. Cada colaborador é uma peça importante dentro de um serviço de segurança. Por isso, é importante que ele saiba onde pode se encaixar nessa estrutura e de que forma os colegas podem colaborar com o seu trabalho. Uma conversa durante a fase de entrevistas é capaz de revelar essa capacidade nos candidatos.

– Resposta rápida: os clientes estão cada vez mais próximos das empresas de segurança. É só pensar que, com um dispositivo móvel, uma pessoa pode relatar um sinistro, demandando atendimento imediato. Essa proximidade traz um desafio para as organizações: a capacidade de responder logo a esses chamados. Por isso, na hora de recrutar um colaborador para a sua equipe, procure por um profissional capaz de dar respostas rápidas em todas as situações, principalmente em emergências.

Essa característica pode ser observada em dinâmicas de grupo ou em atividades propostas pelos profissionais de RH que estimulem a resposta rápida. O ideal é que o profissional seja reativo sem ser apenas instintivo. Ele deve refletir sobre as ações e tomar a atitude mais acertada para a situação. Na mesma forma, em casos de emergência, ele deve saber quais tecnologias usar e onde buscar informações primeiro. Essa competência pode ser fundamental para um cliente em situações de risco.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.


Por que as empresas de monitoramento perdem clientes?


Por que as empresas de monitoramento perdem clientes?

Para diminuir as taxas de cancelamento é preciso estar atendo às necessidades do cliente final e transmitir confiança através da visibilidade da operação.

Um dos problemas mais mencionados pelas empresas de monitoramento é a dificuldade em reter e fidelizar clientes. Essa situação, geralmente, está ligada a questões de custos, baixo investimento em tecnologia, qualidade do serviço e do atendimento. Para diminuir as taxas de cancelamento é preciso estar atendo às necessidades do cliente final e transmitir confiança através da visibilidade da operação. Alternativas em relação a custos do serviço também podem ser oferecidas, justamente para evitar que o cliente final assine o contrato com outro concorrente.

Uma das principais queixas de retração de crescimento da empresa de monitoramento é fragilidade na retenção e fidelização de clientes.

Muitas vezes, ao contratar o serviço, o cliente final se confunde com o objetivo do monitoramento “isso significa que serei ressarcido” ou ainda “isso significa que minha casa nunca será assaltada”. Por outro lado, você sabe que a sua entrega de valor é outra.

O monitoramento por alarmes e câmeras inibe consideravelmente o número de sinistros, mas não impede atos deliberadamente mal intencionados, a viatura não pode interferir no delito nem agir como polícia. O business da empresa de monitoramento é prover prevenção e mediação de sinistros. A prevenção vem pela própria operação de monitoramento, instalando adequadamente sensores e câmeras no local, e a mediação ocorre durante o tratamento do sinistro, com contato com a polícia, com o cliente, levantamento e registro por fotos da situação, até mesmo reparo de infraestrutura (vidros, vitrines) e ressarcimento do bem violado.

O cliente final precisa confiar que seu patrimônio está devidamente monitorado. Para que essa confiança seja estabelecida (ou restabelecida), cabe à empresa de monitoramento investir em transparência e confiabilidade da informação.

Outras ações incluem:

– Solucionar as frustrações anteriores para prevenir as perdas de clientes posteriormente.
– Procurar o cliente para oferecer propostas comerciais interessantes para ele (propostas específicas, não genéricas).
– Não diminuir a qualidade do produto para manter o preço. Geralmente, o cliente final não fica contente em pagar menos e receber um serviço muito pior.
– Oferecer atendimento com as interações humanas certas. Os clientes dão preferência para o atendimento humano, muito mais do que ao digital, principalmente para conselhos e resolução de problemas. Por esse motivo, geram expectativas alta em relação à qualidade do atendimento.

Principais motivos para o cancelamento do serviço de monitoramento

Além de aspectos importantes com relação à qualidade do serviço e do atendimento da empresa de monitoramento, dois outros motivos aparecem com frequência.

De acordo com Michael Bitencourt (aka Mike), nosso consultor em Customer Success, os motivos que levam ao cancelamento do serviço de monitoramento pelo cliente final geralmente incluem o corte de custos.

“Quando o cliente final passa por alguma restrição no orçamento, ele pensa em retirar o monitoramento.” – Michael Bitencourt, consultor Customer Success na Segware.

Em outros casos, no entanto, os clientes finais cancelam, pois uma empresa concorrente ofereceu um serviço mais completo, nas palavras do Mike “Geralmente, o concorrente utiliza o Sigma Enterprise e oferece uma opção mais completa mesmo.”

Perguntamos ao Mike, ainda, o que fazer para tentar reverter a vontade do cliente em cancelar o serviço e se a capacitação do funcionário é importante para o sucesso dessa ação.

Quando o cliente final liga para cancelar o serviço, o que as empresas de monitoramento podem fazer para tentar reverter a situação?

“Geralmente, passamos aos nossos clientes a orientação para falar sobre os benefícios do serviço de monitoramento, sobre o conforto e a segurança que a empresa de monitoramento pode proporcionar ao cliente final. Assim, ele aproveita para mostrar as diferentes soluções e integrações, toda robustez em tecnologia com a qual o nosso cliente pode contar, tudo isso ajuda a reter os cancelamentos. E é uma vantagem para os clientes Segware, pois a solução em tecnologia é completa.“

– Michael Bitencourt, consultor Customer Success na Segware.

 

Ainda assim, se o cliente final não mudar de opinião, a empresa de monitoramento pode oferecer o serviço na modalidade On Demand, disponível através do aplicativo My Security. Nessa modalidade, o próprio cliente final se monitora e solicita deslocamento de viatura caso necessário. Essa opção já foi muito elogiada pelos clientes da Segware para evitar cancelamentos.

Como as empresas de monitoramento podem treinar seus funcionários para este tipo de abordagem?

A Segware disponibiliza a plataforma EaD para aprimorar o conhecimento de todos os funcionários da empresa de monitoramento sobre os softwares utilizados na operação e na comunicação entre os envolvidos.

Além do conhecimento dos módulos para os funcionários da empresa de monitoramento, temos o time de Customer Success que atua junto com nossos clientes na melhoria contínua dos processos internos e no desenvolvimento de novas estratégias comerciais, justamente para que nossos clientes estejam alinhados (e até mesmo impulsionando) com as exigências do mercado de segurança.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.


Descubra 3 inovações para o monitoramento eletrônico


Descubra 3 inovações para o monitoramento eletrônico

Investir em recursos certos para inovar no mercado de Segurança Eletrônica é um passo importante para se diferenciar dos concorrentes em um mercado competitivo.

Prover tecnologia para o setor de Segurança Eletrônica é uma atividade que precisa estar em constante inovação. O software de monitoramento de alarmes inova quando traz funcionalidades que automatizam a comunicação e o tratamento de eventos, outra característica importante é acompanhar as atualizações em desenvolvimento de software. Escolher a solução adequada, que invista em recursos certos para inovar no mercado de Segurança Eletrônica, é um passo importante para se diferenciar dos concorrentes em um mercado competitivo.

Suponha que você tenha contratado um software de monitoramento de alarmes em um determinado momento da sua empresa e que tenha adotado o critério de menor preço para a escolha. Com o passar dos anos, houve pouca ou nenhuma atualização impactante e você passa a sentir falta de novas funcionalidades e mais inovação.

Uma aplicação de baixo custo acaba não conseguindo se manter atualizada tanto em questões técnicas quanto na área de negócio do cliente. A empresa de tecnologia precisa alcançar um equilíbrio de contas para oferecer realmente uma entrega de valor para o seu cliente com um preço em que a inovação seja possível de ser mantida ao longo do relacionamento.

ausência de inovação nos softwares de monitoramento é sentida pelos gestores na área de Segurança como a segunda dor a ser sanada pelas empresas de tecnologia, a primeira grande queixa é a ausência de integrações.

Então, para contratar um novo software que traga a inovação para dentro da sua empresa de monitoramento, veja ele contempla os pontos a seguir.

Inovações em tratamento automático de eventos

tratamento automático de eventos é cada vez mais uma demanda solicitada pelas empresas de monitoramento, justamente para reduzir o tempo com cliques e fechamentos de eventos que não geram valor para a empresa. A automatização, portanto, deixa o operador focado em eventos que realmente precisam de sua atenção.

Um possível cenário para o tratamento automático é a desconexão do painel GPRS. É possível configurar o software que tenha esta inovação para: ao chegar uma desconexão de GPRS, o sistema deixa o evento oculto, e se chegar uma restauração em um determinado tempo depois, o sistema fecha a ocorrência.

Outro cenário possível é gerar um segundo evento quando o primeiro ocorrer. Por exemplo, um evento de disparo de alarme acontece para a casa de praia de um dos seus clientes, você sabe que a família não está em casa, está na cidade, então automaticamente vai precisar deslocar uma viatura até lá. Com o tratamento automático, o evento de disparo de alarme pode gerar um evento de deslocamento de viatura, que chega até o atendente por um aplicativo. Nisso, você economiza tempo e dinheiro com ligações.

Confira se o software de monitoramento de alarmes que você utiliza oferece essa inovação e se está em constante melhoria para tornar ainda mais simples a operação.

Software de monitoramento com inovações em arquitetura Cloud

Softwares em Cloud diminuem custos iniciais com infraestrutura e podem aumentar a rentabilidade da sua empresa, porque você deixa de se comprometer com a manutenção de uma infraestrutura complexa de TI, equipe especializada e riscos com falhas de segurança e operação.

A arquitetura Cloud de softwares de monitoramento também vai melhorar o desempenho e a performance da operação. Adotar tecnologias específicas para nuvem para o desenvolvimento da solução é o que vai garantir as vantagens do software Cloud.

Inovações com uso de aplicativos para smartphones

A inclusão de aplicações mobile no conjunto de soluções para monitoramento eletrônico traz a conectividade e a automação da comunicação que as empresas tanto solicitavam.

No momento da contratação de uma nova solução, pergunte se há integração com aplicativos e para quem eles foram desenvolvidos. Aplicativos para clientes finais são mais fáceis de encontrar, mas eles nem sempre estão vinculados ao serviço de monitoramento que você presta.

Além disso, o benefício do uso de aplicativos não está só com o cliente final, a comunicação interna na sua empresa tende a melhorar com a visualização in loco da informação. O técnico tem acesso a OS pelo aplicativo no local do conserto, a viatura recebe o chamado direto no smartphone e parte para o local da ocorrência. Os benefícios da conectividade são amplos e conferem um ganho de eficiência grande para a operação.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.


7 soluções integradas para monitoramento eletrônico


7 soluções integradas para monitoramento eletrônico

Soluções integradas reduzem custos e aumentam a rentabilidade, exatamente os objetivos mais perseguidos por empresas de monitoramento que querem se destacar neste mercado.

Uma operação eficiente passa pela escolha de soluções integradas. A Segware oferece 7 aplicações para a operação de monitoramento e mais uma ferramenta de business intelligence para gestão do negócio.

integração entre aplicações é uma maneira já consolidada de elevar a eficiência dos processos internos de uma empresa. Para o segmento de monitoramento de alarmes, principalmente, é uma vantagem competitiva. Quanto mais integrações com outras aplicações e com outros hardwares o sistema de monitoramento oferecer, maior será o conjunto de opções você terá na hora de executar a instalação de um projeto de segurança (câmeras de fabricantes diferentes, sensores, painéis de alarme, etc). O que pode aumentar a sua rentabilidade e, ao mesmo tempo, reduzir o custos com a contratação de softwares e aquisição de equipamentos.

Suponha que você possua um software de monitoramento de alarmes que não esteja integrado ao software de monitoramento por vídeo e nem ofereça aplicativos para o cliente final. Além de ser mais difícil compor um pacote de serviços que atraia o consumidor (o app é um ótimo atrativo), o dia a dia na central também se torna dispendioso. Imagine ter que reproduzir o mesmo cadastro em três ou quatro aplicações diferentes para tratar apenas uma única ocorrência?

A ausência de integração entre aplicações ainda aumenta o risco de falhas durante a operação, porque é fácil esquecer de realizar alguma pequena tarefa quando não há nenhum apoio automático para o tratamento de eventos.

E, certamente, a automatização é a vantagem que mais consegue diminuir os custos em uma central de monitoramento: automatizar a comunicação entre as aplicações integradas reduz a conta de telefone e o tempo da operação.

O que esperar de cada uma das soluções integradas?

1. Sigma Security 
Software de monitoramento de alarme nas versões desktop e cloud, completo e estável, é o centro do ecossistema e o coração das operações dentro e fora da central de monitoramento.

2. Sigma Image Monitoring (VMS)
Software desktop de monitoramento por vídeo, representa os olhos da central lá no cliente.

3. OS Mobile
Aplicativo para controle de ordens de serviço, centraliza a comunicação entre operadores e técnicos. Através do My Security, o cliente final também pode receber as OS criadas neste app.

4. VTR Mobile
Aplicativo para visualização de eventos para deslocamento de viaturas, acelera a comunicação entre central e viatura.

5. My Security (+ personalização)
Aplicativo direcionado para o cliente final, facilita a execução de tarefas do cotidiano e o informe evento a evento da conta monitorada. O visual pode ser personalizado, o app vai com o nome e a marca da empresa para Apple Store e Play Store.

6. Red Call
Aplicativo também direcionado para o cliente final, ajuda a pessoa a entrar em contato com a central sem precisar de ligação. A interface é simples e o uso por idosos tem tido uma grande aceitação.

7. Web Alarme
Portal na internet para visualizar os dados e os eventos da conta monitorada. Quem precisa de relatórios de monitoramento, encontra tudo aqui.

A solução Sigma Intelligence dá visibilidade para as soluções integradas

Encontre o que você procura ou procure alguma coisa aqui, você com certeza vai encontrar! O business intelligence coleta tudo sobre a utilização do ecossistema e mostra de maneira bem visual as informações para gestão estratégica da empresa de monitoramento.

Sigma Intelligence

Soluções integradas são aliadas para conquistar e fidelizar clientes

O aplicativo My Security tem se mostrado muito eficiente para atrair e fidelizar clientes, justamente porque ele entrega a conectividade que as pessoas tanto estão buscando nos dias atuais com funcionalidades práticas para o dia a dia. Para a empresa de monitoramento, ter um aplicativo integrado ao software principal é uma garantia de que a utilização do aplicativo estará sempre vinculada à contratação do serviço de monitoramento, isto é, o cliente final só tem acesso às câmeras do local monitorado pelo aplicativo, por exemplo, enquanto for cliente da empresa.

A possibilidade de personalizar o My Security também traz ganhos competitivos, pois o aplicativo está disponível para iOS e Android, portanto o nome e a marca da sua empresa vai aparecer nas lojas Apple Stores e Google Play para o mundo inteiro.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.


Por que você deve evitar clientes com bad fit?


Por que você deve evitar clientes com bad fit?

Clientes bad fit são aqueles que não se beneficiam com os serviços oferecidos pela empresa e podem impedir o crescimento dela no segmento.

Cada empresa de monitoramento tem seu próprio modelo de negócio e, com isso, seus critérios para entender como poderá gerar valor para seus clientes. Clientes bad fit são aqueles que não se beneficiam com os serviços oferecidos pela empresa e podem impedir o crescimento dela no segmento. Investir em técnicas de venda é uma alternativa para filtrá-los antes da assinatura do contrato, diminuindo a taxa de cancelamento e evitando o rompimento da relação, ainda que ela seja defendida por especialistas em gestão de negócios.

Montar uma empresa de monitoramento de alarmes exige um investimento inicial para aquisição de equipamentos, contratação de funcionários e de fornecedores, além de encargos e contas fixas (aluguel, luz, internet, etc.). Tudo isso se soma ao custo inicial de abertura da empresa.

Com o habite-se comercial liberado, você espera atrair o maior número de clientes possível para gerar receita e cobrir todos os gastos. Todos são bem-vindos na sua empresa!

Mas será que esta postura (muito simpática, aliás) é interessante para a saúde financeira e o crescimento da sua empresa?

Retome seu modelo de negócios, quem você deseja atender com os serviços que se preparou para oferecer? Lojas no comércio central, pequenas indústrias, escolas, bancos, residências em bairros de alto padrão? Todo cliente, seja pessoa física ou jurídica, tem uma expectativa de ser bem atendido, e isso inclui resolver um problema dele.

Por consequência, você entende que as necessidades de uma escola são diferentes das necessidades de uma residência de alto padrão. O projeto de segurança tem características diferentes, um conta com alto fluxo de pessoas, o outro normalmente situado em localidades menos movimentadas. Logo, se você começou agora na área de monitoramento de alarmes, tem um orçamento enxuto, terá que escolher para qual público vai direcionar seus recursos e atendê-los com qualidade e confiabilidade. Do contrário, o risco de deixar alguém insatisfeito será maior e o dano de uma insatisfação, em alguns casos, pode ser fatal para a empresa recém-criada.

A expressão fit vem da ideia de que algo “se ajusta” muito bem. Clientes com bad fit, portanto, são aqueles que não se ajustam ao modelo de negócio da sua empresa, isto é, o serviço que você oferece não vai deixá-los satisfeitos ou por questões de porte (demandam uma empresa muito maior para suprir suas necessidades) ou por qualquer outro motivo que não pode ser revertido por você. Em resumo, para clientes bad fit nenhuma ação gera resultados desejáveis e eles custam caro por isso.

Como identificar o fit da sua empresa

Em uma aproximação entre conceitos, o fit da sua empresa é o modelo de negócios dela. Para continuar se mantendo competitiva no mercado, o ajuste entre expectativa do cliente e características do serviço oferecido pela empresa deve ser o melhor possível.

Suponha que você tenha um elevado número de alarmes em falso. Dependendo das soluções que você contratou, do software de monitoramento especialmente, você consegue saber exatamente quais são os clientes que mais geram eventos em falso. De posse desse dado, você pode investigar os motivos, e eles variam entre problemas técnicos ou até mesmo bad fit. Se for alguma falha de comunicação entre o painel GPRS e o software da central, por exemplo, um técnico resolve o problema e tudo volta ao normal. Mas se for uma “crise de confiança”, ou seja, o próprio cliente disparando o alarme intencionalmente para “testar” a qualidade do seu serviço?

Uma tentativa de contornar o problema é entrar em contato com o cliente para programar os “testes” que ele deseja. É reconhecível que o consumidor queira saber se o serviço que contratou não vai falhar na hora que ele mais precisar, mas essa postura também demonstra falta de clareza sobre o tipo de serviço que ele contratou. E é aí que você pode aproveitar a oportunidade para reforçar o nível de profissionalismo e comprometimento que a sua empresa tem para com a segurança do cliente. Se mesmo assim, o cliente continuar gerando propositalmente alarmes em falso e se demonstrando muito insatisfeito (inclusive de maneira nada educada) fica caracterizado o bad fit.

O que fazer para identificar um possível cliente com bad fit?

É nessa hora que você pensa: – Este cliente só me trouxe dor de cabeça! Agora, para além da constatação, o que mais você consegue aprender diante disso? E se houvesse uma maneira de identificar, antes de assinar o contrato, quem são os clientes com bad fit?

Toda empresa possui clientes com esse perfil, algumas, no entanto, já desenvolveram estratégias comerciais para filtrá-los logo na entrada.

É bastante pertinente que todos os vendedores tenham claro qual é o perfil de cliente adequadopara a sua empresa. E que metas e objetivos levem em conta que há sim clientes com bad fitno mercado. Mas nem sempre o problema é de comunicação interna, é preciso alguma técnicapara, em uma conversa por telefone ou por e-mail, descobrir se o consumidor se encaixa ou não no perfil da sua empresa.

Uma das técnicas de venda mais eficaz para diminuir a taxa de churn (taxa que mede quantos clientes vão embora da sua empresa) é a SPIN SalesSPIN é o acrônimo para SituaçãoProblemaImplicação e Necessidade de solução. Cada uma dessas etapas tem uma característica de diálogo específica, inclusive tipos de pergunta diferentes. Veja alguns exemplos:

Situação: entender o contexto do consumidor. “O senhor precisa de monitoramento para qual local (empresa, casa na cidade, casa de praia, escola, banco)?”. “O senhor já contratou alguma vez o serviço de monitoramento? De qual empresa?”
Problema: identificar quais são os problemas do consumidor. “Como é a segurança na sua localidade?”“A sua família/empresa tem alguma reclamação sobre a empresa de monitoramento atual?”
Implicação: levar o consumidor a perceber que o problema tem impactado negativamente a sua vida. Por exemplo, “O senhor se sente protegido mesmo não sabendo se houve disparo de alarme durante à noite na sua loja?” ou ainda “O senhor se sente seguro deixando sua casa desprotegida?”
Necessidade de solução: não tem mais o foco no problema, mas sim na resolução do que foi levantado. “E se o senhor pudesse armar e desarmar o alarme da sua empresa pelo celular?”ou ainda “E se o senhor fosse comunicado sempre que algum evento de alarme ocorresse na sua casa pelo celular?”

Com o SPIN Sales já é possível identificar com mais precisão de aquele consumidor tem ou não perfil para ser atendido pela sua empresa.

A hora da despedida: comunique ao cliente com bad fit que você não pode mais atendê-lo

Mesmo com todo cuidado no início do relacionamento com o cliente, você se depara com números que mostram um aumento significativo de clientes bad fit. O objetivo, no momento, passa a ser de desvincular esse cliente da sua empresa. E aí você pode pensar: “Não!! Não posso perder clientes!!”, e você tem razão, bons clientes não podem sair da sua empresa de monitoramento. Não é o caso, no entanto, dos clientes bad fit. Mantenha-se firme e com o foco no crescimento e na rentabilidade da sua empresa.

Depois de identificar quais são os clientes bad fit, desenvolva uma estratégia objetiva de desligamento. O que você deve evitar é diminuir a qualidade do atendimento e do serviço prestado a ele, isso só vai aumentar a insatisfação dele. Uma comunicação assertiva sobre o redirecionamento de modelo de negócio da sua empresa é suficiente para avisá-lo.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.


3 erros de eficiência corrigidos a partir do BI (Business Intelligence)


3 erros de eficiência corrigidos a partir do BI (Business Intelligence)

A utilização de um software capaz de ler e interpretar os dados gerados pela operação de monitoramento consegue prover subsídios reais para tomada de decisão do gestor.

Na gestão de uma empresa de monitoramento eletrônico, algumas queixas são comuns como o alto custo da operação com viaturas, ligações, equipamentos e até mesmo com alguns tipos de perfis de clientes. A utilização de um software capaz de ler e interpretar os dados gerados pela operação de monitoramento consegue prover subsídios reais para tomada de decisão do gestor. Números que conseguem mostrar onde está o problema com perda de eficiência e que, por consequência, apontam para possíveis soluções. Nesse sentido, o BI (Business Intelligence) é uma aplicação que pode mostrar ao gestor problemas com logística de viaturas, identificar os picos de atendimento e seus principais motivos e, também, evidenciar falhas de equipamento através do acompanhamento das ordens de serviço.

O conceito de Business Intelligence (BI) pode ser entendido como a utilização de variadas fontes de informação para se definir estratégias de competitividade nos negócios de uma empresa.

O modelo de negócio das empresas de monitoramento atuais já conta com aplicativos mobile e monitoramento via câmeras IP. Isso porque, o consumidor atual busca por conectividade e eficácia, sem deixar de lado um preço competitivo pelo serviço.

Justamente para manter o preço atraente para o consumidor, as empresas de monitoramento têm buscado aprimorar seus processos internos e incorporar tecnologias que aumentem a eficiência da operação de monitoramento. O objetivo é reduzir os custos da operação e aumentar a rentabilidade para continuar garantindo um serviço de excelência. No entanto, como identificar com precisão os pontos de fragilidade da operação? É preciso analisar o conjunto de dados gerados pelos softwares envolvidos no monitoramento. Para esta análise estratégica, a ferramenta de BI atende a demanda, porque coleta todos dados e realiza o cruzamento entre variáveis importantesindicadores que impactam diretamente no processo de tomada de decisão.

Luiz, CEO da Segware, entende o BI não como uma ferramenta para conseguir mais clientes para empresa de monitoramento, pelo contrário, o BI consegue, inclusive, mostrar que atender determinado cliente pode não compensar financeiramente para a empresa de monitoramento. Isso tem um motivo muito claro, a despesa que este tipo de perfil de cliente gera é muito maior do que a receita que ele traz para a empresa. Essa disparidade pode ocorrer por diversos problemas, frequente deslocamento de viatura para cobrir disparos de alarme em falso ou projetos de segurança mal instalados (sensores de baixa qualidade também contribuem para isso), por exemplo.

“O BI é um poderoso aliado na varredura por pontos de fragilidade na operação de monitoramento. O cruzamento dos dados coletados pelo Sigma, e demais aplicações, consegue informar o gestor onde exatamente está o problema, principalmente com gastos desnecessários.”

– Luiz Henrique Bonatti, CEO da Segware.

Veja, a seguir, três problemas comuns à operação de monitoramento que podem ser identificados pelo BI.

O BI pode apontar problemas com logística

É bem lógico afirmar que a qualidade da informação possível de ser visualizada e extraída do BI depende da robustez do software utilizado para a operação de monitoramento. Se o seu software controla poucas variáveis, a visibilidade dos processos internos da sua empresa também será reduzida. Por outro lado, se você tem à disposição uma ferramenta completa e integrada a outras aplicações que coletam diferentes dados em diferentes fontes, os dados podem fornecer subsídios para tomada de decisão, justamente porque conseguem apreender muito melhor a realidade da central de monitoramento.

Por isso, o BI precisa estar integrado às aplicações utilizadas na empresa, a especialização neste caso é fundamental para coleta dos dados e composição dos indicadores.

Sigma Intelligence, a ferramenta de BI do ecossistema de soluções da Segware, consegue, por exemplo, identificar os clientes com maior número de eventos de alarme por localidade (geográfica). Com essa informação visível, é possível determinar uma nova rota para as viaturas. E, a partir disso, remanejar o recurso para o lugar mais próximo possível de onde ele será mais utilizado.

Identificar picos de atendimento é mais fácil com o BI

Com o aumento do número de contas monitoradas, o gestor passa a perceber que existem situações que se repetem com frequência. Logo, um problema pontual se transforma em uma preocupação real para o andamento da operação na central de monitoramento.

Nesse momento, identificar os picos de atendimento e suas principais causas é possível através de uma aplicação de BI.

No Sigma Intelligence, é possível evidenciar a origem do problema dos picos de atendimento, por clientes, por eventos e dentro de um período, para criar um indicador de fragilidade da operação. A qualidade da informação extraída depende de regras de negócio bem definidas no software. Por exemplo, traçar uma tendência de pico de atendimento apenas realizando a média de ocorrências/eventos em uma determinada hora pode não refletir a realidade, já que o contexto de um domingo de manhã é bem diferente do contexto de uma segunda-feira no mesmo horário. O volume de eventos também varia em função do dia de semana, de dias específicos do mês (feriados, por exemplo) e de excepcionalidades (previstas ou não).

Critérios bem definidos para a criação de indicadores determinam a confiabilidade da informação, o quão próxima à realidade da central ela consegue estar.

A partir daí, é possível, inclusive, determinar quais clientes geram maior número de ocorrências, entender que tipo de ocorrências são e ponderar se os custos que elas apresentam ficam abaixo da receita gerada por tais clientes.

Assim, com uma ferramenta adequada de BI, o gestor consegue identificar e tratar as causas possíveis dos picos de atendimento, servindo, inclusive, de oportunidade para automatizar ao máximo a comunicação entre os envolvidos na operação de monitoramento.

O BI coloca em evidência o principal motivo de problemas técnicos

Problemas técnicos podem ser uma das causas de picos de atendimento na central. Falha na comunicação entre dispositivos (sensores e painéis) com o software de monitoramento, em geral, provocam uma enxurrada de eventos.

Sigma Intelligence consegue indicar os problemas mais comuns apontados nas ordens de serviços, munindo o gestor sobre a qualidade dos equipamentos e da instalação do projeto de segurança no local monitorado.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.