3 dicas para implantar monitoramento de imagens via internet

As tecnologias com acesso à rede nem sempre são usadas da melhor forma possível. Confira dicas que podem melhorar resultados e evitar dores de cabeça posteriores.

Em nossa experiência no setor de segurança, observamos, nos últimos vinte anos, um grande amadurecimento nas soluções brasileiras de monitoramento de imagens. Hoje, nosso mercado contém soluções definitivas, integradas com a internet e capazes de ajudar em casos de eventuais intrusões. Porém, as tecnologias com acesso à rede nem sempre são usadas da melhor forma possível. Por isso, neste post, separamos 3 dicas para implantar monitoramento de imagens via internet, que podem melhorar resultados e evitar dores de cabeça posteriores.

Nossas 3 dicas para implantar monitoramento de imagens via internet são:

  • Fique atento ao tipo e à qualidade da conexão à internet: como falamos acima, nosso mercado contém soluções de todos os tipos para o monitoramento. As câmeras, por exemplo, podem se conectar à central por meio de uma rede cabeada ou sem fio. Essa diferença deve ser levada em conta pelos gestores para que a conexão seja otimizada. No caso de uma IPCAM wireless, você pode investir em um roteador mais potente, que possa receber e repassar as imagens com mais rapidez. Já para equipamentos cabeados, sugerimos uma reavaliação periódica dos cabeamentos e das conexões. Nos dois casos, percebe-se que o administrador precisa aproveitar ao máximo a tecnologia disponível.
  • É claro que, além do sistema de câmeras, é preciso prestar atenção na sua conexão com a rede externa. Não basta ter a IPCAM mais rápida e o melhor roteador se a sua rede for lenta. Nesse caso, temos duas sugestões para você. Se a sua empresa for pequena, considere fazer um upgrade na velocidade da sua Web – as operadoras costumam ter condições especiais para as organizações. Já para instituições de porte um pouco maior, se a demanda for realmente alta, vale a pena avaliar um link dedicado, feito direto com a prestadora de serviços de internet. Ele é mais caro, mas costuma ser muito mais rápido.
  • Invista em tecnologias com possibilidade de integração: nossa segunda dica para implantar uma solução de monitoramento via internet tem relação com a tecnologia. Para poder usar a câmera, é preciso contar com uma solução que receba as imagens geradas pelo equipamento. Algumas soluções mais voltadas para o consumidor final, por exemplo, contam com um software próprio para receber e transmitir os vídeos capturados. Porém, se você pretende investir em segurança no futuro, recomendamos fortemente que você compre um sistema integrado, que seja capaz de administrar as câmeras e os demais sistemas presentes no local.
  • Muitas soluções integradas disponíveis no mercado brasileiro já contam com interfaces online, o que já deixa o processo mais prático. Pense que o circuito de IPCAMs será um dos pontos monitorados pelo software. Se você vier a comprar um sistema de alarmes, por exemplo, ele também estará disponível na Web. Aos poucos, você incrementa seu sistema de segurança e mantém o acesso às informações na internet.
  • Cuide com a privacidade e o armazenamento das informações: a última dica tem relação com a segurança do seu sistema. O monitoramento com imagens online é prático, mas ele está sujeito a falhas técnicas. Se a conexão cair, você perde as imagens. Por isso, por mais que sua intenção seja manter um serviço via internet, não deixe de armazenar as imagens, nem que seja de algumas câmeras. Isso garante que, em casos extremos, as gravações não se percam completamente, garantindo a sua segurança (e do seu cliente).
  • Outro aspecto que você também deve levar em conta é a segurança jurídica do serviço. Se você vai usar um serviço de transmissão de imagens via web, é preciso informar para o cliente e para os colaboradores do que se trata o novo serviço, além de explicar quem terá acesso às imagens. Isso evita posteriores questionamentos na Justiça, tanto dos funcionários quanto dos parceiros.

E você, acrescentaria alguma dica para quem pretende investir em monitoramento de imagens via web? Compartilhe o seu conhecimento conosco e deixe suas impressões nos comentários.