3 erros de comunicação que atrapalham a venda do serviço de monitoramento

Entenda quando supostos diferenciais podem se tornar um problema na sua comunicação.

Empresas de monitoramento preocupadas com sua imagem no mercado (e consequentemente com sua rentabilidade) buscam conhecer o perfil de cada nicho (escolas, residências, centros comerciais e empresariais, etc) e reforçar constantemente o conforto e a confiança de seus clientes finais. O business do monitoramento eletrônico é prevenir e mediar sinistros, sendo assim, quando não há a ocorrência de um sinistro, como a empresa de monitoramento pode se mostrar presente (e de forma útil) na vida de seus clientes? Oferecer o serviço de monitoramento e disponibilizar ao cliente final um aplicativo para que ele também possa acompanhar as câmeras do CFTV, por exemplo, é um diferencial. Mas quando esse diferencial se torna um problema de comunicação? Ao promover a marca do fabricante dos equipamentos ao invés da sua própria marca, a empresa de monitoramento perde coerência em sua estratégia de comunicação e marketing e deixa passar diversas oportunidades para associar a sua marca a bons momentos.

cliente final já desenvolveu o hábito por conectividade, a facilidade do uso dos aplicativostransformou a maneira como as pessoas interagem com produtos e serviços.

O mercado de tecnologia para monitoramento eletrônico entendeu isso e já consegue prover algumas soluções em aplicativos para as empresas distribuírem aos seus clientes finais.

Algumas soluções provêm dos fabricantes das câmeras de segurança, outras são desenvolvidas pela própria empresa de monitoramento e há ainda os aplicativos integrados aos softwares de monitoramento de alarmes e VMS (video monitoring system).

Diante das opções disponíveis, observe se o aplicativo que você escolheu vai livrar você destes 3 erros de comunicação e posicionamento de marca para o cliente final:

Promover a marca do fabricante dos equipamentos ao invés da própria marca

É comum entre os fabricantes de equipamentos e câmeras para CFTV fornecer aplicativos para visualização das imagens. Com isso, o cliente final tem à disposição todo o equipamento e recebe diretamente pelo aplicativo as imagens geradas em seu próprio CFTV. Esse tipo de venda tem gerado algumas desistências por parte de alguns clientes finais: porque, na percepção deles, a empresa de monitoramento se faz muito pouco presente nesses casos.

Sendo assim, os clientes finais aproveitam a infraestrutura e cancelam o serviço de monitoramento.

Mas isso é suficiente para não oferecer o serviço de monitoramento por câmeras de segurança?

Não, não é. O aplicativo utilizado é que não foi pensado para incluir de forma sustentável (e rentável) a empresa de monitoramento, então o que precisa ser repensado é o aplicativo.

Escolher um aplicativo que não esteja vinculado ao serviço da empresa de monitoramento pode custar a perda de vários clientes, mas algumas empresas acabam fazendo essa opção mesmo assim porque o aplicativo é gratuito.

O uso de aplicativos dos fabricantes de câmeras de segurança também interfere no volume de ligações para o suporte da empresa, é necessário configurar porta, IP e outros campos antes de iniciar o uso.

Além disso, claro, o nome e a identidade visual do aplicativo são do fabricante dos equipamento, e não da sua empresa. É o fabricante que está sendo visto por milhares de pessoas nas lojas da Apple e do Google.

Como corrigir? Promova a sua própria marca escolhendo um aplicativo que ofereça essa possibilidade e que mantenha os clientes finais com você.

Não manter a coerência da marca em todos os pontos de contato com o cliente final

Pode ser que você já tenha entendido que usar o aplicativo da empresa fabricante das câmeras de segurança não seja um bom negócio (por diversas razões), e se é cliente Segwarejá tem à disposição o My Security, o app que permite muito mais do que visualizar as imagens das câmeras.

Nesse caso, você já oferece a conectividade que seu cliente final tanto deseja, mas ainda assim pode estar deixando um quesito fundamental de lado: a personalização.

Ao incluir o My Security nos seus pacotes de serviços, você vai precisar orientar o cliente final sobre como fazer o download do aplicativo. É muito mais fácil para o seu cliente se o app estiver com a sua marca e o nome da sua empresa de monitoramento. Fácil de localizar e coerente com o serviço que ele contratou.

Ao entrar nas lojas mobile Apple Store e Google Play, você consegue acompanhar quantas vezes o seu aplicativo foi instalado e desinstalado, por exemplo, isso já informa se a sua campanha de marketing (para que seus clientes usem o seu aplicativo) está funcionando. É um bom termômetro para balizar as próximas ações.

Perder a oportunidade de mostrar a marca ao cliente final em situações positivas

Quando você escolhe personalizar o aplicativo, está associando a sua marca à sensação de conforto e facilidade que o app proporciona ao cliente final. Confira o depoimento da TeleAlarme Brasil, representada pelo Ivam Nunes de Matos.

Sem a personalização, esse vínculo não é criado, e a sua empresa passa a ser lembrada como uma despesa ou em situações de sinistro.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.