Como a computação em nuvem simplifica a infraestrutura de uma empresa de monitoramento eletrônico

Os custos iniciais com infraestrutura de TI para quem está abrindo ou ampliando uma empresa de segurança eletrônica são grandes e consomem quase todo o orçamento. A resposta para reduzir este impacto está em um novo paradigma de prestação de serviços de recursos computacionais.

Até os anos 2000, o maior desafio das empresas de tecnologia era proporcionar o acesso à internet para o maior número de pessoas. Com a chegada da internet das coisas, no entanto, além de pessoas, qualquer dispositivo eletrônico pode estar online, captando dados e enviando para servidores de aplicação. Isso provocou um aumento exponencial no volume de dados a serem processados, tal conjunto massivo de dados leva o nome de Big Data.

A necessidade de processar o Big Data exigiu mais performance dos servidores, e uma maneira de garantir a performance foi através do processamento em grid, em que é possível executar processos através de computadores distribuídos localmente ou geograficamente. A IBM, por exemplo, incentiva a participação de voluntários a World Community Grid, uma comunidade de pessoas que cedem seus computadores, quando estão ociosos, para ampliar os recursos computacionais de pesquisas científicas sobre saúde e sustentabilidade.

É diante desse contexto, que inclui Big Data e processamento em grid, que se desenvolve a computação em cloud (na nuvem). O conceito de computing cloud é quase tão antigo quanto o próprio computador, mas foi a partir de 1997, com Ramnath Chellappa, que passou a representar um novo modelo de negócio para soluções de serviços computacionais através da Internet.

A Amazon, uma das maiores empresas de Web Services Cloud, define o serviço no seu site como:

A computação em nuvem é a entrega sob demanda de poder computacional, armazenamento de banco de dados, aplicações e outros recursos de TI por meio de uma plataforma de serviços de nuvem via Internet com uma definição de preço conforme o uso.

Tal contexto de desenvolvimento tecnológico e a fundação de empresas de Web Services Cloud impulsionaram a criação de um novo modelo de comercialização de softwares, o modelo SaaS (Software as a Service). Sai de cena a ideia de licença para entrar o conceito de assinatura. Agora, você assina o software pelo tempo que precisar, para quantos usuários quiser e com a demanda de processamento de dados adequada para sua empresa. Também não é mais necessário adquirir computadores de alta performance, muito mais caros, para atender uma demanda inicialmente pequena.

Quando você assina um software de monitoramento eletrônico na nuvem, sua empresa se protege de problemas com manutenção e troca de servidores, mantém o sigilo dos dados através da criptografia de ponta a ponta, e elimina a necessidade de suporte para infraestrutura. O software na nuvem apresenta vantagens que simplificam totalmente o início – ou a abertura de novas filiais – de uma empresa de monitoramento eletrônico, por dois fatores:

O poder do processamento de dados é multiplicado

O maior impacto do processamento em grid é reduzir os custos para processar um conjunto massivo de dados rapidamente. No lugar de um supercomputador, com uma potência de processamento gigantesca, entra a combinação do poder de processamento de vários computadores, ligados em rede, para executar um alto número de tarefas simultâneas com alta performance.

Assim, quando ocorre um pico de tráfego de dados no sistema, o poder de processamento aumenta para que todas as tarefas iniciadas sejam concluídas sem travamentos. Para a empresa de segurança eletrônica, isso significa que todos os eventos de arme e desarme de alarmes, no começo ou no final do dia (maior número de eventos simultâneos), serão processados com a mesma performance pelo sistema.

A atualização do software é fluida e contínua

O software instalado em uma rede interna de servidores demanda um cronograma de atualização que, invariavelmente, inclui a indisponibilização do serviço para os usuários por um determinado tempo. Quando o software de monitoramento eletrônico está na nuvem, a empresa não precisa mais mobilizar seus funcionários para elaborar o cronograma de atualização e nem interromper o serviço para os seus clientes.

A Segware também desenvolve soluções para serem hospedadas na nuvem. O Sigma Cloud é o único software de monitoramento eletrônico na nuvem integrado com Sigma Image Monitoring, Web Alarme e My Security. Saiba mais entrando em contato com nossos consultores.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.