Segurança de dados digitais: descubra como o back up pode salvar o seu dia

A segurança dos dados digitais não diz respeito apenas à proteção contra ameaças externas, mas também para garantir que os dados mais importantes estarão sempre disponíveis.

A segurança dos dados digitais não diz respeito apenas à proteção contra ameaças externas (vírus, fraudes), mas também para garantir que os dados mais importantes estarão sempre disponíveis. Daí a importância do hábito de fazer back up dos arquivos mais importantes. Só quem já perdeu o trabalho de uma semana ou de um mês inteiro entende que prevenir é muito melhor do que remediar. Por isso, comece identificando quais são as pastas e arquivos a serem salvos, escolha pelo menos dois tipos de mídia e de ambiente para armazená-los e, por último, atualize as versões do back up sempre que necessário. Assim, você aumenta a proteção dos dados, evitando a perda de informação por equívocos operacionais ou por vírus.

Você já viu como proteger seus dados de ameaças externas. A segurança dos dados digitais também inclui uma tarefa pouco valorizada: o back up. Só quem já teve seus dados perdidos, muitas vezes de clientes ou de gravações de monitoramento, sabe como é importante adquirir esse hábito.

O back up, ou seja, a cópia de segurança dos arquivos mais importantes, pode ser feita de maneira mais rápida, inclusive automatizada ou até mesmo por outras empresas. Neste último caso, por exemplo, o back up dos dados gerados dentro do software de monitoramento eletrônico, que utiliza a tecnologia Cloud, é feito pela empresa que presta o serviço de hospedagem. Isso não impede, entretanto, a implantação de uma rotina de back up para os dados que são armazenados apenas nas máquinas locais da empresa (planilhas, contatos, softwares desktop).

Além de assegurar a integridade dos dados, o back up para empresas de monitoramento possibilita a retomada imediata da operação caso ocorra alguma perda de dados. A substituição transcorre sem problemas, já que há uma cópia de segurança preparada.

Veja a seguir os diferentes tipos de back up, em que mídias e ambientes armazená-los e dicas para iniciar este hábito sem aborrecimentos.

Que dados devem fazer parte da rotina de back up?

Se você está pensando em fazer o back up apenas do computador que utiliza, pode identificar mais rapidamente quais são os arquivos mais importantes. Mas, no caso de vários computadores e de dados de outros usuários, como julgar o que vai ou não para o back up?

Usualmente, o back up pode ser feito de três maneiras:

• completo: todos os arquivos são salvos de maneira recorrente;

• diferencial: apenas os arquivos que foram completamente alterados desde o último backup completo realizado são salvos; e

• complementar: neste caso, qualquer arquivo alterado desde o último back up será salvo, independente do nível de modificação.

Para empresas de monitoramento eletrônico, Andreza, nossa Gerente de TI e Apoio ao Usuário, reforça a importância de incluir nas rotinas de back up a base de dados completa (histórico de eventos, dados cadastrais, dados das contas dos clientes, configurações e parametrizações).

Depois de escolher o tipo de back up, tão importante quanto adquirir o hábito é escolher mídias confiáveis para o armazenamento. Atualmente, além de mídias físicas, é possível contratar o serviço de back up na nuvem, ou migrar para o software de monitoramento que já utiliza essa tecnologia.

Onde guardar os dados de back up?

Com a definição dos dados a serem salvos, escolha pelo menos duas mídias diferentes para serem guardadas em ambientes distintos (uma cópia na empresa e a outra na nuvem ou em outro lugar seguro).

Veja algumas opções para armazenar os dados:

• Storage
• HD externo
• Nuvem

Storage é um servidor dedicado apenas para armazenar cópias de segurança. O HD externotem capacidade muito maior do que outras mídias móveis, como pendrives e DVDs, é a opção mais indicada dentre elas. Já o armazenamento de dados na nuvem pode ser contratado com as grandes provedoras do serviço, como a Amazon. Você organiza uma rotina de envio de arquivos para nuvem e segue atualizado de acordo com as modificações.

“Vale ressaltar também que não é seguro deixar o back up dentro do servidor ou de outro computador em utilização. O ideal é separar fisicamente os arquivos das máquinas utilizadas no dia a dia.” Andreza, Gerente de TI e Apoio ao Usuário.

Andreza Lupi

Como organizar rotinas de back up?

Ao identificar os arquivos a serem copiados para o back up e escolher em quais mídias ele será armazenado, falta criar uma rotina para que o back up não seja esquecido.

“Para as empresas de monitoramento eletrônico, recomendamos o back up da base de dados, se possível até duas rotinas diárias, uma no meio da tarde e outra de madrugada. ” Andreza, Gerente de TI e Apoio ao Usuário.

Além dos dados do software de monitoramento, você vai precisar determinar uma periodicidade para os demais arquivos (planilhas, documentos, contatos). Por isso, a frequência com a qual você deve fazer o backup depende do volume de alterações e criações de arquivos feitas no decorrer de um dia ou de uma semana.

O back up é seu aliado para a qualidade a prestação do serviço. Ele existe para facilitar a vida dos usuários e não complicar. Incorpore este novo hábito na gestão de segurança da informação na sua empresa e proteja seus dados!

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.