O novo Marketing: como se comunicar com o consumidor atual

Planejar ações para trabalhar com emoções, inovar em conteúdos originais e investir na melhoria contínua da qualidade do serviço oferecido.

O novo Marketing fará a empresa se comunicar com o consumidor atual através de estratégias multicanais que levem o tipo de consumidor ideal até a empresa de monitoramento. Planejar ações para trabalhar com emoções, inovar em conteúdos originais e investir na melhoria contínua da qualidade do serviço oferecido caracterizam a mudança.

A internet desencadeou a capacidade revolucionária de cada marca se comunicar diretamente com seus clientes – sem a necessidade de intermediação de um setor de mídia. O marketing de mídia social é o primeiro passo natural neste processo: o acesso aos usuários é direto (os usuários passam muito mais tempo em redes sociais) e o conteúdo é geralmente formatado em pedaços mais curtos, o que torna o processo de publicação relativamente fácil.

Para estabelecer uma comunicação atraente e que faça sentido para o novo perfil de consumidores (muito mais conectados), potencialize seu Marketing trabalhando com emoções, inovando em conteúdos originais e investindo na melhoria contínua da qualidade do serviço de monitoramento que você oferece. Veja mais a seguir.

Seu Marketing precisa trabalhar com emoções

“Pense no consumidor não em termos de alguém que vai comprar seu produto, mas alguém que deseja que o mundo seja um lugar bom para viver. O que você está fazendo para mostrar a ele que se importa?”, Phillip Kotler, professor, autor de diversos livros importantes na área, considerado o “Papa” do Marketing.

A empresa de monitoramento eletrônico tem a missão de proteger o que mais importa, a vida e o patrimônio de seus clientes. E é com este mote que ela geralmente busca atender o desejo de proteção de seus potenciais clientes. Como se destacar em meio à concorrência se todas as empresas de monitoramento utilizam o mesmo apelo?

Seu Marketing precisa trabalhar com as emoções das pessoas. E para isso, precisa entender quem são essas pessoas. O conceito de Arquétipos e Personas, discutido no livro “A natureza emocional da marca: como escolher a imagem que fortalece a sua marca”, de José Martins, ajuda a entender melhor como reconhecer a emoção por trás de diversos tipos de comportamento. Neste livro, o autor fala que todos os produtos ou serviços existentes no mundo são ligados à um espírito natural que é resultado da associação de imagens e sentimentos que estão presentes no coletivo da humanidade. Como por exemplo, temos a rosa que inspira o refinamento, o morango que inspira a sensualidade e o jeans que inspira a liberdade.

Assim, tão importante quanto direcionar campanhas de marketing para o público-alvo da sua empresa, é acertar no tom e na emoção correta para fisgá-lo.

Edu Malheiros, Coordenador de Marketing aqui na Segware, entende que não é a intensidade da emoção que fará a diferença na hora da conversão de leads para clientes, e sim a escolha do tipo certo de emoção alinhada ao objetivo da marca.

E é justamente para entender melhor qual é o objetivo da marca, o que ela representa, e como pode se aproximar dos seus potenciais clientes que grandes áreas do conhecimento como Design e Administração se encontram: a dobradinha Design Estratégico e Marketing entra em cena.

O Design Estratégico está muito mais próximo ao conceito da marca, ao que ela representa. E a partir daí, consegue nutrir o Marketing para entrar em contato com o consumidor. Neste sentido, o Design Estratégico se articula a longo prazo, acompanhando a evolução da identidade da marca, o modo como a empresa se vê. O objetivo é aproximar cada vez mais essa identidade à imagem que a empresa tem externamente. É um exercício constante de equilíbrio, pois a imagem que a empresa tem dela mesma dificilmente será igual à reconhecida pelas pessoas de fora.

Já o Marketing está em renovação constante, pensando sempre em novas maneiras de atingir em cheio a emoção certa nos consumidores. Trabalha com campanhas, com tempo e foco determinado, que podem mudar de acordo com o objetivo.

Design Estratégico e Marketing, portanto, estão alinhados, a maneira como cada um atinge seus objetivos é diferente, mas a intenção de fortalecer a marca é a mesma.

Segundo o Edu, é possível trabalhar com emoções diferentes utilizando canais de comunicação diversos, enriquecendo, assim, o repertório da empresa.

“Aqui na Segware, somos mais descontraídos nas redes sociais, não tem problema mostrar nosso bom humor, o clima bacana e a integração das pessoas. Já em comunicações impressas, como folders, banners e estantes, geralmente com uma durabilidade maior e pensados para situações mais formais, usamos uma linguagem padrão no tom mais adequado para comunicar o conceito da empresa.”

– Eduardo Malheiros, Designer e Coordenador de Marketing na Segware.

Eduardo Malheiros

Cuide bem do seu Inbound Marketing

“Os consumidores agora estão no poder, eles sabem muito mais do que você mesmo como companhia. Antes de comprar um carro, as pessoas perguntam aos seus colegas qual a melhor marca, acessam reviews na web, etc. Antigamente, a única coisa que você sabia sobre uma empresa era o que ela te dizia naquele comercial de 30 segundos”, relembra o professor Phillip Kotler.

Inbound Marketing nada mais é que um conjunto de estratégias que têm como objetivo atrair os consumidores para o site da empresa fornecendo conteúdos relevantes para eles. É o contrário do marketing tradicional, e baseia-se no relacionamento com o consumidor em vez de propagandas e interrupções.

A eficácia do Inboud, então, está totalmente conectada com a assertividade na escolha de Arquétipos e Personas para o desenvolvimento dos materiais para o Marketing. E, claro, com a relevância dos materiais para a vida do potencial cliente.

A empresa de monitoramento eletrônico pode manter um blog no site, com artigos que abordem temas de segurança no cotidiano, ou um perfil no facebook, promovendo a circulação do mesmo tipo de informação, ou ainda, organizar eventos e palestras sobre segurança na cidade de cobertura do seu serviço. Não é necessário que o conteúdo relevante venha só no formato digital, o foco é disseminar conhecimento e atrair possíveis clientes por esse caminho.

Consumidores de um modo geral, antes de realizar qualquer compra, pesquisam na internet sobre o produto ou o serviço. É o que o Google chama de grau zero da compra. Eles podem procurar por expressões como “quanto custa colocar câmeras em casa” ou “alarme em casa funciona?”, aproveite essas expressões para dar o posicionamento da sua empresa à respeito do assunto no blog, por exemplo. A dica importante aqui é ser crítico ao escrever, provendo informações verídicas e de fácil leitura.

Camilla, nossa Publisher, entende que o blog está gerando bons resultados quando há engajamento de leads e clientes em forma de comentários e compartilhamento nas redes sociais.

Camilla Leal

“O Inbound é importante para ativar um canal de comunicação e relacionamento com leads e clientes. Claro, como em qualquer relacionamento, devemos nos preparar para receber feedbacks positivos e negativos. Quanto mais assertiva for a escolha de Arquétipos e Personas, mais valor conseguimos gerar para as pessoas através da produção de conteúdo que elas realmente desejam. A chave para o Inbound Marketing é “gerar valor”, é provar que entendemos do nosso mercado e compartilhar conhecimento.“

– Camilla, Publisher na Segware.

A produção de conteúdo original em formato de texto aumenta as chances de atrair visitantes para o seu site e ajuda a influenciar o momento de compra, já que é exatamente por isso, em busca de opiniões sobre o serviço, que os consumidores pesquisam na internet.

Comece com textos mais simples, respondendo as perguntas mais comuns. Fique atento à linguagem, evitando parágrafos desconexos e erros de ortografia. Vale lembrar que Inboud é uma estratégia de médio e longo prazo, por isso não desista no meio do caminho! Insista na produção de conteúdos relevantes para os consumidores e logo os resultados virão.

Marketing sozinho não faz milagre

“Uma companhia não sobrevive se não mudar”, afirma Kotler.

Sim, não adianta investir em Marketing e abandonar a qualidade do serviço de monitoramento. Em um mercado sem competição, se você oferece um bom serviço, ele praticamente se vende sozinho. Não é o caso do mercado de monitoramento eletrônico, que é aquecido, possui demanda, mas ao mesmo tempo um grande número de concorrentes. Por isso, buscar o equilíbrio entre tecnologia e inovação do serviço de monitoramento eletrônico com a melhor forma de divulgação é fundamental.

Nesse sentido, aproveitar o capital humano da sua empresa pode acelerar os bons resultados. Além de aproveitar o conhecimento sobre o negócio que cada colaborador tem, você estimula a livre circulação do conhecimento dentro da empresa. E isso muda a percepção coletiva sobre ela, é o que caracteriza uma ação de Endomarketing, quando o Marketing é feito para as pessoas que formam a empresa.

O engajamento externo é importante para atrair mais clientes, mas é o engajamento interno é que vai sustentar a longo prazo tal estratégia.

Reuniões rápidas diárias ajudam a circular a informação. Grupo no WhatsApp ou Telegram também podem estimular o diálogo entre as diferentes áreas. O importante é definir um código de uso para esses canais de comunicação apresentarem os melhores resultados. Logo, todos se habituam com as novas estratégias e passam a compartilhar temas e sugestões de conteúdos. Assim, você pode ficar responsável (ou delegar a outra pessoa) pela redação final do conteúdo e publicação dele no site.

Ter uma equipe enxuta não impede o investimento na elaboração de conteúdos relevantes. É uma questão de se preparar para mudança de comportamento dos consumidores. O novo Marketing trabalha alinhado à mudança para conhecer quem são os consumidores e o que eles querem agora. Só assim a empresa conseguirá pensar em serviços mais adequados para crescer e se fortalecer no segmento.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.