Saiba quais são os principais erros para escolha de um sistema de segurança

Gestores devem evitar falhas no manuseio de sistema de segurança. Estude cada solução, análise integração entre ferramentas, pense na armazenagem dos dados e faça capacitações.

Em um bom sistema de segurança, é importante integrar todas as tecnologias disponíveis em uma empresa. Alguns gestores acabam tendo dúvidas no manuseio de ferramentas desse porte e, por falta de esclarecimento, colocam a segurança de patrimônios e vidas em risco. Pensando nisso, produzimos este post com os principais erros cometidos por alguns players do nosso segmento.

O primeiro equívoco é desconsiderar as especificações técnicas no momento de contratar algum produto. Pode parecer muito elementar recomendar isso, mas o gestor deve estudar cada ferramenta antes de comprá-la e, principalmente, realizar testes. Isso vai garantir a plena integração de um circuito de alarmes, por exemplo, ao sistema de segurança escolhido. Caso haja alguma discordância, é válido considerar outra solução.

A necessidade de integração também é válida entre sistema de segurança e softwares internos utilizados pela empresa (sistemas de ERP para gestão da empresa, por exemplo). É comum que gestores deixem de avaliar a compatibilidade e encontre problemas ao rodar as soluções. Muitas soluções podem se equiparar no que diz respeito a funcionalidades, no entanto, integrações é um ponto importante que fará com que a escolha da sua empresa seja certeira.

Outro erro comum no uso de um sistema de segurança está relacionado à forma de armazenagem da solução e dos arquivos gerados por ela (imagens, gravações e outros arquivos que também devem ter uma política de backup). Se a sua empresa utiliza servidores internos, é necessário ter um cuidado redobrado para evitar falhas internas que ponham em risco a segurança dos clientes. É fundamental ter muito cuidado com esses PCs – não devem ficar expostos a ameaças internas como vírus e outras formas de intrusões. Lembre-se que existem empresas que desenvolvem o software de monitoramento que oferecem a solução em nuvem, com metodologia SaaS, que irá sanar este ponto.

Lembre-se que a economia para a escolha de uma solução que irá comportar toda a operação de monitoramento da sua empresa pode não ser uma boa estratégia, pois a “saúde” do monitoramento dos seus clientes e da sua empresa depende desta operação e da tecnologia que estará envolvida.

Por fim, falhas humanas também devem ser consideradas no manuseio de um sistema de segurança. Portanto, planeje capacitações periódicas entre o corpo de colaboradores da sua empresa de segurança – tanto antes de contratar uma nova solução, quanto qualificações de reciclagem e atualização de versões, por exemplo. Essa postura evita erros comuns de registro de eventos, além de uma série de outros exemplos de mau uso do software.

Baseado nestes pontos, como que você faz para evitar equívocos em seu software de monitoramento? Quais pontos você considera para escolher sua solução para monitoramento de alarmes? Compartilhe seu relato conosco pelos comentários!