VMS x CMS do DVR: por que você deveria ler isso antes do seu próximo projeto de segurança
Blog

VMS x CMS do DVR: por que você deveria ler isso antes do seu próximo projeto de segurança

15 de maio de 2017

O VMS (video monitoring system) oferece uma experiência melhor de monitoramento, porque suas funcionalidades e parâmetros são mais completos. Para quem tem o objetivo de se profissionalizar no segmento é uma ferramenta que contribui para rentabilidade do negócio. O uso do CMS, software embarcado no DVR, é indicado para se familiarizar com as ferramentas e realizar testes pontuais.

O uso da sigla CMS neste artigo se refere a content management system, o software que vem instalado de fábrica no aparelho DVR que você adquiriu.

Você comprou seu primeiro kit para instalar um CFTV e agora quer entender como adicionar uma nova câmera neste mesmo sistema de segurança?

A resposta depende muito do seu objetivo. Se a sua ideia é se profissionalizar no ramo, ou aumentar o número de clientes, oferecendo o serviço de instalação e monitoramento de sistemas de segurança por imagem é melhor continuar lendo este post…

Câmeras de segurança analógicas são conectadas a um equipamento chamado DVR (digital video recording) para que as imagens sejam acessadas e gravadas. Para que isso seja possível, o DVR vem de fábrica com um software, específico do modelo e da marca, chamado CMS (content management system). O CMS é uma interface gráfica que permite acessar as imagens, definir resolução e ajustes de imagem, configurar permissões de usuário e parametrizar a gravação. O equipamento também pode ser conectado a um cabo ethernet e, portanto, se tornar acessível de qualquer outro terminal online, basta ter um usuário e senha.

Além do DVR, outros aparelhos como o HVR (hibrid video recording) e o NVR (network video recording) também podem ser utilizados em projetos de segurança com VMS (video monitoring system). O tipo de tecnologia das câmeras é que vai definir a escolha:

Câmeras analógicas: ou off line, podem ser conectadas a um DVR ou HVR. A câmera em si não está online, ela envia as imagens para o DVR/HVR para que possam ser acessadas através da internet.

Câmeras IP: ou online, podem ser conectadas a um HVR ou NVR. A câmera em si pode estar online e gravar internamente as imagens. Para gerenciar as imagens de um projeto de segurança com mais de uma câmera, você vai precisar de um software.

Neste caso, vamos continuar falando sobre câmeras analógicas e DVRs, porque são os equipamentos mais populares para quem está iniciando na instalação de projetos de seguranças mais simples.

Antes de adquirir o kit para instalação das câmeras de segurança, você provavelmente pesquisou bastante sobre as características gerais das câmeras, resolução, consumo de energia, conexão, ângulo, se possui detecção de movimentos ou gravação noturna.

Uma vez definida as características gerais do tipo de captação das imagens do projeto de segurança, é o momento de entender se vale a pena continuar apenas com o CMS do DVR que você adquiriu ou se vale a pena contratar um software específico para monitoramento de câmeras e alarmes.


Projeto de segurança sem VMS

Contratar um software de monitoramento de alarmes integrado com outro de VMS pode não ser a sua opção inicialmente. Neste caso, quais serão as características gerais de um CFTV gerenciado apenas via CMS?

Você vai precisar instalar as câmeras em locais estratégicos para cobrir todo o perímetro a ser monitorado. Passar o cabeamento até o DVR e conectar o DVR à internet para monitorar a distância.

A maneira como você vai conseguir monitorar o seu cliente vai ser determinada pelo CMS do DVR que você está utilizando. O CMS normalmente permite:

• permissões diferentes para usuários diferentes;
• gravação de imagens no HD do DVR;
• transmissão das imagens via internet;
• gravação por detecção de movimentos;
• ajustes de resolução de imagem.

Inicialmente, o CMS consegue entregar algumas funcionalidades interessantes. Sem um VMS, no entanto, ocorre as seguintes implicações:

• fragilidade de segurança, o acesso é diretamente no hardware, podendo danificá-lo ou alterá-lo;
• as imagens ficam gravadas apenas no HD do DVR, se o aparelho é danificado, as imagens são perdidas permanentemente;
• não há integração com eventos de alarme, se o alarme dispara você vai precisar assistir o vídeo para ver as imagens do disparo;
• cada CMS tem uma interface diferente, muitas vezes dentro dos modelos do mesmo fabricante. Vai ser preciso reservar um tempo para aprender a usar diversos CMS;
• Os aplicativos, quando fornecidos pelo fabricante, não estão vinculados ao serviço de monitoramento. O cliente pode aproveitar os equipamentos e dispensar os seus serviços.

Assim, para adquirir agilidade no monitoramento, ficar restrito às funcionalidades do CMS pode não ser produtivo. Em projetos piloto ou para realizar testes pontuais, a utilização do CMS consegue atender a demanda. Mas se a sua ideia é se profissionalizar, as desvantagens podem impactar na rentabilidade do negócio.


Projeto de segurança com VMS

Se você já considera contratar um software de monitoramento de alarmes integrado com outro de VMS é porque tem intenção de oferecer um serviço profissional de monitoramento eletrônico.

Da mesma maneira, você vai precisar instalar as câmeras em locais estratégicos para cobrir todo o perímetro a ser monitorado. Passar o cabeamento até o DVR e conectar o DVR à internet para monitorar a distância.

A experiência de monitoramento com o VMS é mais abrangente, logo, vai ser possível:

• configurar permissões diferentes para usuários diferentes;
• gravar imagens no HD do DVR e nos servidores de imagem da central de monitoramento;
• parametrizar com mais detalhes funções de gravação, como detecção de movimentos, 24/7 ou quando o alarme disparar;
• configurar e salvar mosaicos de imagem diferentes para cada projeto de segurança;
• integrar com software de monitoramento de alarme;
• monitorar a partir de uma única interface, de um único software;
• vincular o aplicativo do cliente final ao serviço de monitoramento. Se o cliente cancelar, perde o acesso ao aplicativo e suas funcionalidades.

A utilização de um VMS também traz mais segurança para o monitoramento, pois os usuários terão apenas acesso ao software, e não ao equipamento. Todas as ações são registradas no log e podem fazer parte dos relatórios para os clientes.

O VMS também permite a inclusão de câmeras de outros fabricantes em um mesmo CFTV, a integração com dispositivos e painéis de alarme de marcas diferentes e com outros softwares. Como o VMS é direcionado para o negócio de monitoramento eletrônico, é sempre atualizado de acordo com as demandas e novidades do setor.


Resumo da comparação entre VMS e CMS


VMS CMS
Acesso ao software, protegendo o DVR Acesso direto ao DVR
Precisa de investimento Já vem com o aparelho
Interface única Interfaces diferentes
Integrações com hardwares e softwares de diferentes marcas Integrações com hardwares e softwares apenas da fabricante
Aplicativo vinculado ao serviço de monitoramento Aplicativo pode ser usado por qualquer pessoa que adquira o equipamento

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou possui alguma sugestão? Compartilhe conosco abaixo pelos comentários.

Próximo | Eventos
16 de maio de 2017

EXPOSEC 2017

Saiba mais
Anterior | Blog
12 de maio de 2017

Descubra como o design dos aplicativos contribui para fidelizar clientes

Saiba mais

Boleto Online

Cliente Segware - Consulte, pague ou solicite a segunda via de seu boleto Segware através do serviço Santander - Resolva Online.

Resolva On-Line

Trabalhe Conosco

A Segware é a empresa líder no desenvolvimento de software para o setor de monitoramento eletrônico de alarmes. Venha trabalhar com a gente!

Consulte vagas